Obras de Formação

As obras de formação que escolho expor aqui são pequenas mostras representativas de estudos técnicos vivenciados  nos cursos de Decoração do Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandes (CEMLF), em Montes Claros; e, de Artes Visuais da  Escola Alberto da Veiga Guignard, em Belo Horizonte. Carregam de certo algum valor estético, mas validam-se mais pelos afetos.  
As três obras que abrem esta sala fazem parte de estudos técnicos de desenho  no CEMLF. 
 

O primeiro e segundo desenhos são paisagens imaginárias nascidas da observação do casario do centro histórico de Montes Claros e de fotografias do lugar em outros tempos.

Estudo - Pontilhismo - Montes Claros Ima
Montes Claros, paisagem imaginária - Pontilhismo.
Lápis sobre papel Canson, 1993,
Montes Claros
42,5CMX32,5CM.
Acervo do Artista.
Montes Claros Notivaga, paisagem imaginária.
Nanquim aguada/bico de pena sobre papel Canson, 1993,
Montes Claros
29,7CMX20CM.
Acervo do Artista.

O terceiro desenho nasceu das viagens pictográficas que fazia, nos anos 1990. Eram viagens pictográficas com fotografias do acervo iconográfico montado entre as décadas de 1950 à 1990 por Waldemar Ventura. Para o estudo à seguir usei uma pequena foto de cerca de 5CMX8CM, original dos anos 1970.

 

Há uma história sobre a imagem que, se verdadeira, faz-nos feliz:

Conta-se que o jacaré, um papo-amarelo, foi capturado vivo, atordoado. E que, de tamanha admiração com o tamanho do réptil e a satisfação de posar cada qual com o ar que lhe apetecesse mais heroico, o jacaré foi solto". Fato possível naqueles tempos fartos da lagoa de Tamanduá (povoado de Porteirinha/MG).

Ca%C3%A7adores%20de%20Jacar%C3%A9%20-%20
Caçadores de Jacaré - Tamanduá, década 1960.
Nanquim aguada/bico de pena sobre papel Canson, 1993,
Montes Claros
20,5CMX31,5CM.
Acervo do Artista.